Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

9 de fev de 2014

Meu poema












Meu calado poema,
meu magro poema triste,
findo poema oblíquo
,
enegrecido.
Meu louco poema conciso,
poema das poucas portas,
das ruelas, das leves horas
fugidias.
Debruçado nas solitárias janelas
de cinzas molduras tortas,
respira.

Adonis k.



0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home