Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

2 de out de 2010

Varais em Dó Menor



Calei
o que queria
gritar
do alto do prédio,
calei-me com a boca
costurada
pelos fios
das amarras do mundo.
Um mundo pequeno,
sem vales,
sem mares,
contido na mala
decrépita,
(sem nem um sorriso)
surrada valise de viagem.
Calei-me diante
do imenso varal colorido,
lençóis estampados,
blusões pesados,
intrigas.
A voz que não saia,
embutida.
O abraço contido,
o chorar escondido,
o jamais.
Calei-me por dentro,
mas cá entre nós, você sabe:
Sentei-me diante dos anjos,
por entre demônios em brasa,
e sem recuar
os meus olhos
falaram por nós.

Adonis K.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home