Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

4 de out de 2010

Quando vi já era nós.



Foi muito mais divertido
o que o homem trouxera
escondido
debaixo do braço. Era um brinquedo estranho...
O parque estava repleto de cantores.
Nem mesmo a fonte cessara de jorrar,
água límpida em todas as direções...
Era primavera. Fomos livres.
Nossos passos o encontro a relva,
tudo o que a vida nos beijou!
Era clara a manhã de nós dois os olhos
e o brilho da alma liberta às pressas
dos escombros.
Nenhum de nós deu corda
nos relógios,
nenhum chorou o abraço
mas fomos juntos
pra onde
o tempo solto nos levou.

Adonis K.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home