Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

9 de out de 2010

Adeus é fio de navalha.



Um adeus parece longo mas é
curto e breve
são palavras engasgadas
mudas
quase um sopro do entulho
dos dramas que levam a alma.
Quando muito um abraço
e um laço que a gente
sente
afrouxar.
Um adeus é o tudo
que o mundo
vem dar ,
é o ritmo fora
a cadência
o lamento
um momento sem fotos,
o registro entre corpos
acenos
sorrisos dormentes.
Um instante sem cor
visceral
que fica prá sempre.

Adonis k

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home