Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

12 de jul de 2010

Retrato



A má sorte que persegue
o tão pouco que restou
da vida morna de nós quatro,
me abastece o fígado ruim.
Quarteto fantástico! Tempos idos...
Hoje a sacada com a samambaia
podre pendurada,
o gato preguiçoso e eu,
o mesmo da foto 3x4 que sorriu,
entre o pó.

Adonis K.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home