Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

7 de jun de 2009

Meu Amor Mar É



Tanta força tinha
este teu olhar
quando me penetrou,
que rompi comigo
para estar contigo
em uma estranha esfera.

Cara a cara agora
observei no instante
que o momento errante
estava enfim ausente,
e que no entanto sei
de que te amar preciso
o quanto sei que sabes
me mentir.

Ora lamento em pranto
o desengano lento
que adiciono em pleno
leito meu de enfermo.
Sei agora o tanto
que carrego
o fardo que criei por ser
inteiro assim por ti.

teu fascínio breve,
teu estranho canto,
teu pescoço e lenços
me sobrevoando....
teus cabelos prontos,
teus suaves pés,
tua voz tão rouca...
Meu amor sumindo,
vindo, indo e vindo
tal qual a maré.


Adonis k.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home