Poemas Finitos

Diga ao povo que fico! Ou melhor, deixe que eu mesmo digo. Sem penas e sem pedras, semi-nú, sem grandes ou pequenos, nem de leve abstêmio, levemente suburbano, metropolitano, sem face, sem máscaras, estou em qualquer passado e nos cotidianos. Cai o pano!

7 de jun de 2009

Hoje, não!



A longa pista noturna
molhada de óleo de água de mim,
a longa jornada com o veio oco de chão,
de surtos e temas
que nunca mais vou abraçar.
Lágrimas quentes.
Que será? Meu ser aflito para sempre.
Hoje, não!
Houve um profundo suspiro rodando
na longa pista noturna por mim,
eu esqueci teu cabelo eu esqueci teu pêlo,
tua cor,
eu nunca estive a fim desde que saí
rodando
pela longa pista noturna.


Adonis K.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home